Cuidado com as redes sociais é tema de encontro do Projeto Cidadania Digital

A grande maioria dos jovens tem ao menos uma conta em algum tipo de rede social. As mais populares são Facebook e Twitter, mas há muitas outras, como Instagram e Pinterest, e a cada dia surgem novas opções.

A importância das redes sociais na cultura adolescente é cada vez maior e estas já fazem parte do seu estilo de vida. Mais do que na era do conhecimento, vivemos no tempo da comunicação digital, do acesso imediato à informação contínua.

Com toda esta troca de informações, muitas delas pessoais, levantam-se também questões de privacidade, segurança e excessos. E foi justamente esse o tema do segundo encontro do Projeto Cidadania Digital.

Na última terça-feira, a Dra. Marcela Macedo de Lima Goulart, advogada especialista em direito digital, fundadora do projeto “Cidadania na rede” e autora de diversos artigos sobre educação digital, conversou com os alunos do 7º ano do Ensino Fundamental do Santo Ivo sobre os riscos que existem nas redes sociais e como aumentar sua atenção ao utilizá-las, para não se tornar um alvo fácil.

O primeiro cuidado, segundo ela, deve ser com a segurança. Não usar a mesma senha para várias contas, não divulgá-la a ninguém e não escolher combinações óbvias são atitudes importantes. Também é fundamental fazer o logoff do site, sempre que deixar de utilizá-lo.

A especialista também chama atenção à privacidade. A maioria das redes sociais tem ajustes que permitem ao utilizador controlar quem pode ver a conta e o modo como pode fazê-lo. Os adolescentes devem limitar o acesso à sua informação pessoal por meio das configurações de privacidade para que apenas os amigos ou pessoas que eles conheçam bem possam ver o que eles publicam.

Também foi orientado aos alunos do Santo Ivo que só adicionem pessoas conhecidas, já que nunca se sabe qual a verdadeira intenção de um desconhecido que lhe peça para ser amigo na rede.

Por segurança, os jovens não devem transformar a rede social em seu diário. Não publique onde estuda, onde trabalha e nem onde mora. Também evite usar aplicativos que digam em que lugar esteve. Todas estas informações podem ser acessadas por qualquer um e uma pessoa mal intencionada pode usar isto contra o usuário.

No próximo encontro, que será realizado no dia 30 de abril, Dra. Marcela falará sobre o cyberbullying, que é o ato de agredir alguém por meio de imagens ou palavras na internet.

Anúncios