Parada Literária marca último dia de atividades da Semana Literária

IMG_9076 (Copy)Sol, céu azul, silêncio e muitos livros marcaram o último dia de atividades da Semana Literária de 2015.

Neste ano, a tradicional Parada Literária aconteceu na Praça John Lennon, em frente ao colégio, e deixou todos alunos do Ensino Fundamental concentrados para a hora de leitura.

Veja as fotos da MANHÃ.
Veja as fotos da TARDE.

Alunos do Fundamental realizam primeira etapa do Concurso Literário 2015

IMG_8676Os alunos elaboraram suas produções, cujo o tema é “Era uma vez … agora é a minha vez” (2º ao 5º ano do Ensino Fundamental) e “Era uma vez… diálogos com minha infância” (Fundamental II e Ensino Médio).

O concurso, que é coordenado pela direção do colégio e pelos professores de Língua Portuguesa e Literatura, conta com a participação de estudantes do 2º ano do Ensino Fundamental à 3ª série do Ensino Médio.

No dia 13 de agosto, a primeira seleção de redações será encaminhada para a Direção.

Depois disso, no dia 4 de setembro, serão divulgados os cinco trabalhos que serão avaliados pela comissão julgadora, composta por jornalistas, professores da área de linguagens e pelo diretor geral do colégio.

No dia 9 de outubro, serão conhecidos os três trabalhos finalistas por categoria.

Finalmente, em 28 de outubro, às 20h, ocorre a Cerimônia de Premiação no Auditório da Unidade II e serão anunciados os primeiros colocados. Os alunos vencedores serão premiados com medalhas de ouro, prata e bronze  e ganharão vale-presentes de uma livraria.

Para conferir as fotos de terça-feira (23), durante a realização da redação no Ensino Fundamental, CLIQUE AQUI.

Para ler o Regulamento do IX Concurso Literário, CLIQUE AQUI.

VII Semana Literária: confira o dia a dia do evento

Teve início, nesta  segunda-feira (22), a 7ª edição da Semana Literária do Santo Ivo.

Durante cinco dias, os alunos são mergulhados em um campo de cultura, entrando em contato direto com o universo da arte e da literatura, por meio de uma série de atividades. O objetivo do evento é ajudar os alunos a reconhecerem a importância da leitura para o desenvolvimento das pessoas e a participação do indivíduo na construção de um mundo mais pacífico.

Além disso, paralelamente, acontece a Feira de Livros, na Sala de Leitura da sede. Nela, o aluno adquire uma obra para ler durante as férias.

Neste ano, a Semana Literária acontece de 22 a 26 de junho e tem como guia o projeto anual do Ensino Fundamental: “Diálogo… Construindo pontes”.

Confira o dia a dia do evento:

Dia 1

O mágico: Os alunos do 2º ao 8º ano foram surpreendidos com a apresentação de um mágico ilusionista. A partir da atividade, eles refletem sobre a ideia de que não existe uma única verdade e que tudo depende do ponto de vista.
Veja as fotos.

Feira de livros: Veja AQUI as fotos do 1º dia.

Dia 2

Contação de Histórias (Fundamental II): A atriz e professora de teatro e expressão corporal Gabriela Hess encantou os alunos do 6º ao 8º ano com sua apresentação interativa. Veja as fotos.

Feira de livros: Veja AQUI as fotos do 2º dia.

Dia 3

Parada Artística: Nesta atividade, os alunos do Fundamental se espalharam pela escola e se uniram a um colega para colorir um desenho. A proposta era estimular o diálogo entre a dupla, para que pudesse definir as melhores cores e dividir as tarefas para pintar a imagem. Os desenhos enfeitam, agora, as paredes da sede. O resultado ficou encantador.
Veja as fotos da MANHÃ.
Veja as fotos da TARDE.

Feira de livros: Veja AQUI as fotos do 3º dia.

Dia 4

Visita do autor:  Os alunos do Ensino Fundamental receberam a visita do autor Marcus Aurelius Pimenta, que, entre muitas outras obras, criou em parceria com José Roberto Torero a coleção Fábrica de Fábulas.
Veja AQUI as fotos.

Feira de livros: Veja AQUI as fotos do 4º dia.

Dia 5

Parada Literária: Sol, céu azul, silêncio e muitos livros marcaram o último dia de atividades da Semana Literária de 2015. Neste ano, a tradicional Parada Literária aconteceu na Praça John Lennon, em frente ao colégio, e deixou todos alunos do Ensino Fundamental concentrados para a hora de leitura.
Veja as fotos da MANHÃ.
Veja as fotos da TARDE.

Um dia de cultura e história no Centro de São Paulo

DSC00982 (Copy)Na última quarta-feira (17), os alunos do 4º ano visitaram o Centro de São Paulo.

O estudo do meio teve início no Pateo do Collegio,  sítio arqueológico onde foi levantada a primeira construção da cidade e onde fica o Museu do Anchieta, que abriga coleções de arte sacra e retrata o cotidiano paulista em seus primeiros primeiros séculos.

Após um lanche, os alunos seguiram para o Solar da Marquesa de Santos, um raro exemplar de residência urbana do século XVIII, onde hoje fica a sede do Museu da Cidade de São Paulo.

O passeio continuou pelo marco zero de São Paulo, monumento hexagonal localizado na Praça da Sé, que representa o centro geográfico da cidade. Logo em frente, a parada seguinte foi a Catedral da Sé.

O monumental edifício é um dos cinco maiores templos neogóticos do mundo, com mais de 100m de comprimento e 46m de largura, e abriga várias curiosidades que muitas vezes escapam ao olhar do visitante. Apesar do estilo europeu, a catedral tem elementos bem brasileiros, como os altares com pedras verde e amarelas, e os capitéis das colunas, com animais e plantas da fauna e da flora nacionais.

Após a visita à Catedral, os alunos foram almoçar em um dos pontos altos (literalmente) do estudo do meio: o Terraço Itália. Localizado no topo do Edifício Itália (que é o segundo maior da cidade, com 165 metros), este cartão postal possui uma vista estonteante da capital paulista e abriga um dos restaurantes mais famosos de São Paulo.

Após a refeição, foi a vez da visita ao Mosteiro de São Bento, um dos conjuntos arquitetônicos e históricos mais importantes da cidade, e ao Edifício Martinelli, primeiro arranha céu da América Latina.

Depois, os alunos caminharam pelo Viaduto do Chá, primeiro viaduto da cidade, inaugurado em 1892, em direção ao Theatro Municipal de São Paulo, a última parada do estudo do meio.

Lá, os alunos puderam conhecer um pouco mais sobre um dos mais importantes teatros do país, tanto por seu estilo arquitetônico semelhante ao dos mais belos teatros do mundo, inspirado na Ópera de Paris, como pela sua importância histórica, por ter sido o palco da Semana de Arte Moderna de 1922, o marco inicial do Modernismo no Brasil.

Confira as fotos deste dia inesquecível no Flickr do Santo Ivo.

 

Alunos do 3º ano contam como foi a Festa Junina, por meio de desenhos e textos

Nesta semana, os alunos do 3º ano do Ensino Fundamental contaram, por meio de desenhos e textos, como foi a Festa Junina do Santo Ivo, que aconteceu no último sábado (13).

Confira alguns desses relatos abaixo:

A Festa
(Felipe Borba Fulanetto- 3º ano A)

Na Festa Junina, a minha apresentação foi ótima. Eu agradeço a minha turma por dançar tão bem.

Nós ensaiamos só 3 vezes e conseguimos apresentar na Festa Junina.

Com meus amigos, fui em uma garagem que é cheia de brincadeiras e fomos no boliche e no acerte a galinha.

No escorregador, eu fui um montão de vezes.

Me diverti muito lá e brinquei pra caramba na Festa Junina.

Eu fui com meu pai, minha mãe, minha avó e meu irmão. Meu irmão também brincou.

Fiz muitas outras brincadeiras, como guerra de bolas.

A Festa Junina estava demais!!!

A Festa Junina
(Lívia, 3º ano B)

No primeiro dia de ensaio, tudo foi meio atrapalhado e demorou um pouco até a tia Lili resolver o que íamos fazer. Um tempo depois ela finalmente se decidiu.

Dançamos duas músicas porque elas eram muito curtas e o refrão de uma era assim:

“O balão vai subindo, vem caindo a garoa, o céu é tão lindo e a noite é tão boa. São João, São João, acende a fogueira no meu coração.”

A tia Lili disse que se todo mundo cantasse ia ficar mais bonito e ela tinha razão, com a gente cantando ficou muito mais bonito.

Fizemos um balão de papel para a dança. No meu, eu coloquei gliter demais.

Uns dias depois chegou o dia da dança. Eu fiquei super nervosa. A dança foi muito legal. Depois da dança, brinquei em quase todas as barracas. Eu fiquei muito cansada e…

A festa junina foi assim.

A Festa Junina do Santo Ivo
(Mariana, 3º ano C)

Eu estava dormindo e de repente:

– Mãããeee!!…-chamou minha irmã.

Então eu resolvi acordar, porque não queria ficar de lado.

O dia estava muito bom para uma Festa Junina, estava tudo ensolarado.

Tomei banho e assisti TV com a minha irmã. Depois minha mãe enfeitou nossos cabelos e ficaram muito lindos!

Depois almoçamos, colocamos os vestidos, fizemos pintinhas no rosto e ficamos muito bonitas.

Lá na escola dançamos muito bem e eu estava muito empolgada, porque era a primeira Festa Junina da minha irmã!

Comi um temaki delicioso, batatas e um algodão doce juntinho dela.

Meus tios e avós estavam lá para ver a apresentação e eles estavam bem felizes por nos verem.

Depois fui onde tinha brinquedos e ganhei vários prêmios. Eu fui jogar boliche, canaleta, pescaria e no final da festa fui no tobogã.

Essa festa foi bem legal e eu adorei ficar perto da minha irmã e dos meus amigos!

Como é que vai ser a Festa Junina do ano que vem? Será que vai ser tão legal quando essa?

Alunos do Fundamental II poderão conferir colorido intenso das obras de Miró em atividade do “Pelas Ruas de São Paulo”

miróOs alunos do 6º ao 8º ano do Santo Ivo terão a oportunidade, no dia 26 de junho, de visitar “Joan Miró – A Força da Matéria”, a maior exposição dedicada ao artista catalão, que foi um dos principais nomes das vanguardas artísticas do início do século 20.

Na mostra, que acontece no Instituto Tomie Ohtake, são exibidas 112 obras de Miró, sendo 41 pinturas, 22 esculturas, 20 desenhos, 26 gravuras e três objetos.

As obras estão divididas, cronologicamente, em três seções: anos 30 e 40; anos 50 e 60; e anos 70.

Na primeira seção, os alunos poderão conferir o interesse do pintor pela pinturas e desenhos da época da Guerra Civil Espanhola e da Segunda Guerra Mundial. Surgidas no final dos anos 20, as famosas colagens de Miró também podem ser vistas neste período.

No trecho dos anos 50 e 60, o artista já experimentava diversos tipos de técnicas e matérias, incluindo a escultura.

Já nos anos 70, Miró segue questionando a arte e utilizando suportes inusitados, o que pode ser verificado em sua coleção de gravuras.

A visita à exposição será a 18ª atividade do projeto “Pelas ruas de São Paulo“, que tem como objetivo apresentar aos alunos interessados a riqueza artística da nossa cidade.

Os alunos serão acompanhados pela professora de Arte, Rosângela, e pela orientadora educacional Silvia.

5ºs anos visitam Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil

DSC00459Na última quarta-feira (10), os alunos do 5º ano estiveram no tradicional bairro da Liberdade para conhecer o Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil.

Inaugurado em 1978, o Museu ocupa três andares da Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e conta com aproximadamente cinco mil objetos, 28 mil documentos e dez mil fotos, que retratam pontos marcantes da trajetória dos imigrantes nipônicos que vieram ao país.

A primeira parte do museu mostra as relações diplomáticas entre o Brasil e Japão, retratando o trabalho e vida dos imigrantes nos cafezais paulistas e outros cultivos.

A segunda parte do museu traz três temas: a contribuição dos japoneses na agricultura brasileira, a Segunda Guerra Mundial e a reorganização da comunidade nipo-brasileira após a guerra. O último setor retrata a vida dos imigrantes pós guerra e a instalação de indústrias japonesas no país. Além disso, o museu também destaca as relações socioculturais do intercâmbio entre os dois países, incluindo dança, religião, música, culinária e cinema.

Confira fotos deste Estudo do Meio no Flickr do Santo Ivo.

Confira como foi a Festa Junina do Colégio Santo Ivo

DSC08076 (Copy)Barracas de comidas típicas, brincadeiras, pais atentos com suas máquinas fotográficas e filmadoras a postos para não perderem nenhum passo dos seus filhos durante as apresentações de dança. Assim foi a Festa Junina do Santo Ivo, que aconteceu no último sábado, dia 13 de junho, na unidade II do colégio.

Em clima bem familiar, centenas de pessoas marcaram presença no evento e puderam prestigiar as danças dos estudantes e brincar nas barracas de Pescaria, Frango na Panela, Boca do Palhaço, Boliche dos Minions, entre outras.

Para matar a fome, também não faltaram opções. Dezenas de barracas de quitutes aplacaram a gula dos presentes. Pastel, churrasco, crepe, batata frita, hambúrguer e temaki eram só algumas das comidinhas oferecidas. A barraca do Terceirão, organizada pelos alunos da 3ª série do Ensino Médio para arrecadar fundos para a formatura, também fez sucesso com uma grande variedade de docinhos deliciosos!

As apresentações de dança foram um show à parte. Os alunos do Fundamental I encantaram logo de cara, abordando as mais tradicionais referências das festas juninas, como a quadrilha e músicas de Luiz Gonzaga. Em seguida, foi a vez dos alunos da Educação Infantil e 1ºs anos brilharem, fazendo alusão à sanfona e ao boi-bumbá, dança do folclore popular brasileiro, muito comum nas quermesses do Maranhão. Os pequenos ainda homenagearam Inezita Barroso, uma das maiores representantes da música caipira, que faleceu em março.

Por fim, as apresentações dos 6ºs anos do Fundamental à 3ª série do Ensino Médio agitaram o público, com animadas danças que passearam por ritmos como baião, country e forró.

Confira AQUI as fotos da edição 2015 da Festa Junina do Santo Ivo no Flickr.

 

Veja como foi a visita dos alunos do 5º ano ao Museu da Imigração

20150603_113513Na última quarta-feira (3), os alunos dos 5ºs anos visitaram o Museu da Imigração do Estado de São Paulo.

Localizado no tradicional bairro da Mooca, na zona Leste da cidade, o museu é o principal responsável pela preservação da memória das pessoas que chegaram ao Brasil em meados do século XIX e XX e que, com seu trabalho, ajudaram a construir e a transformar a capital paulista e o país.

Atuando como ponto de encontro de diversas comunidades de imigrantes, as origens do atual museu remontam a 1887, ano em que foi fundada a Hospedaria de Imigrantes, local que tinha como função acolher e encaminhar ao trabalho viajantes trazidos pelo governo. Ao longo de seus 91 anos de atividade, a Hospedaria, que foi fechada em 1978, recebeu cerca de 2,5 milhões de pessoas de mais de 70 nacionalidades. As histórias desses trabalhadores continuam vivas, preservadas nos depoimentos, fotos, documentos e jornais que compõem o grande acervo do Museu da Imigração.

Entre as suas ricas atrações, começando pela sua arquitetura centenária, o museu conta com uma parede em que se encontram gravados mais de 14 mil sobrenomes, provenientes de diversos cantos do globo, de pessoas que passaram pela antiga hospedaria.

Confira as fotos desta saída pedagógica no Flickr do Santo Ivo.