7ºs anos fazem releituras da Monalisa aliando pintura e fotografia

20160315_monalisasAdaptar linguagens entre a pintura e a fotografia usando o célebre quadro “Monalisa”, de Leonardo da Vinci, engendrou nos alunos dos 7ºs anos a vontade de criar, também, uma história que fosse capaz de rivalizar com a verdadeira obra renascentista.

Cada grupo produziu uma imagem contendo elementos de composição semelhantes aos de Monalisa e, ao mesmo tempo, somaram-se novos elementos que seriam incluídos em um texto descritivo sobre os mistérios destas novas monalisas.

Produção fotográfica + Edição de Imagem (Photoshop) + Produção de Texto = Série (com “pegada” cômica) de Monalisas Contemporâneas.

Confira o resultado desse trabalho incrível no Flickr do Santo Ivo.

 

Anúncios

Alunos do 6º ano produzem curta metragem sobre o homem primitivo

20160308085228O homem primitivo se preocupava em caçar, se abrigar, se proteger do frio e da chuva, fugir de animais ferozes, enfrentar outros de sua própria raça e, ainda assim, tinha tempo para confeccionar ferramentas, armas, utensílios, desenhos…

Como o homem primitivo lidaria com problemas atuais? Os alunos dos 6ºs anos do Ensino Fundamental produzem seis curtas metragens para mostrar, de forma bem humorada, como seria. Algumas “pérolas” têm saído desse trabalho, como os filmes “Funk das Cavernas” e “Artista Genial”.

Logo, os vídeos estarão disponíveis no YouTube.

Veja mais fotos da atividade no Flickr do Santo Ivo.

Fundador da Editora Cortez visita sede do Santo Ivo

Dr, José Carlos, Diretor Geral do Santo Ivo, recebe o editor José Xavier Cortez

Dr. José Carlos, Diretor Geral do Santo Ivo, recebe o editor José Xavier Cortez

O Colégio Santo Ivo recebeu, na última quarta-feira (9), a visita do fundador da Editora Cortez, José Xavier Cortez.

Com uma história de vida comovente, o editor conversou com o Diretor Geral do Santo Ivo, Dr. José Carlos de Barros Lima, com a Coordenadora do Ensino Fundamental, Miriã Sales, e com a professora Rosângela, da Sala de Leitura.

A trajetória de José Xavier Cortez, migrante nordestino, natural de Currais Novos, no Rio Grande do Norte, ex-plantador de algodão, lavador de carros e marinheiro que se transformou em um dos mais importantes editores do Brasil, virou filme e livro.

Entre as boas histórias da biografia “Cortez- A Saga de um Sonhador”, de Teresa Sales e Goimar Dantas, está uma que aconteceu há cerca de 10 anos.

Três assaltantes, armados, entraram na editora Cortez, pertinho da PUC, onde José Cortez se formou em Economia. Era noite e muitos funcionários já haviam ido embora. Os ladrões queriam abrir o cofre da empresa, mas ninguém tinha o código. O editor resolveu intervir: “Podem levar meu relógio, minha carteira, meu celular… Mas o cofre eu não sei abrir”. Como bom proseador, desatou a papear com um dos assaltantes, que reclamava que a vida estava difícil e não conseguia emprego. Cortez argumentou que o negócio que tinha era pequeno e não dava muito dinheiro. Então, perguntou ao bandido se ele tinha filhos. Ao descobrir que o sujeito era pai de três crianças, Cortez pediu para uma funcionária separar os 19 títulos que, na época, compunham a coleção infantil da editora. O assaltante agradeceu e levou a sacola cheia.

Confira AQUI as fotos da visita do editor à sede do colégio.

Voluntariado trabalha no cadastramento de notas fiscais

DSC01566Os alunos do Voluntariado do Santo Ivo se reuniram na última quarta-feira (9) para começar o lançamento das notas fiscais para a “Casa do Pequeno Cidadão Nossa Senhora Aparecida”. A ação é uma das principais linhas de captação de recursos da instituição.

Após cadastramento das notas fiscais em um sistema específico, a Casa participa de sorteios mensais realizados pelo Programa NFP e repasses de créditos de seis em seis meses (em abril, referente ao 2º semestre do ano anterior, e em outubro, referente ao 1º semestre do ano atual.

O principal benefício para a Instituição é o retorno financeiro, que tem contribuído para ajudar na manutenção da Casa.

A Casa do Pequeno Cidadão, que fica na Vila Leopoldina, tem como principal objetivo acolher crianças e adolescentes (de zero a 17 anos) em situação de vulnerabilidade social em que seus direitos básicos foram violados, muitas vezes vítimas de maus tratos ou negligência e abandono, capacitando-as a serem reintegradas à suas famílias de origem ou em famílias substitutas por meio da adoção.

Confira AQUI fotos do trabalho do Voluntariado.

 

Arrecadação de roupas e calçados masculinos na 1ª Campanha Solidária do ano

Voluntariado_baixaAté 30 de março, o Voluntariado do Colégio Santo Ivo arrecada roupas e calçados masculinos na 1ª Campanha Solidária do ano.

As peças coletadas serão encaminhadas ao Albergue Zancone, que atende cerca de 200 desabrigados. São catadores de material para reciclar, que circulam pela região e que têm no albergue seu jantar, banho e repouso noturno garantidos.

As doações podem ser entregues nas secretarias da Sede e da Unidade II do Santo Ivo e no hall da Educação Infantil.

O Projeto Voluntariado é realizado pelos alunos dos 8ºs e 9ºs anos e Ensino Médio, às quartas-feiras, e conta com a colaboração efetiva de todos os alunos da escola e seus familiares.

Semanalmente, são programadas atividades sociais, visitas a lugares carentes, arrecadação de vários itens de primeira necessidade e é feita a contabilidade de todas as doações recebidas.

Incentivem seus pais, filhos e amigos, desde já, que a solidariedade ameniza os problemas da sociedade tornando nossa vida muito mais significativa.

1ª AÇÃO: COLETA DE ROUPAS E CALÇADOS MASCULINOS

Beneficiário: Albergue Zancone – Av. Imperatriz Leopoldina, nº 1335.

Objetivo: Atender cerca de 200 desabrigados, catadores de material para reciclar que circulam pela região e que têm no ALBERGUE seu jantar, banho e repouso noturno garantidos.

Local de entrega: Secretarias da SEDE, UNIDADE II e Hall da Ed. Infantil, até 30/03/2016.

20160309_doacoes

Solidariedade também se aprende na escola!

Voluntariado_baixaA escola é o espaço para solidificar e incentivar a vivência e a cultura da solidariedade. Para atingir esse objetivo, os alunos dos 8º e 9ºs anos do Ensino Fundamental e Ensino Médio participam semanalmente (às quartas-feiras) do VOLUNTARIADO do colégio.

Para que as ações sociais se concretizem, há necessidade do envolvimento e das doações de todos os familiares dos alunos.

Aguardem circulares específicas, informando período de arrecadação e destino das doações.

Confira, abaixo, as campanhas de 2016:

MARÇO – Roupas e calçados masculinos.

ABRIL – Produtos de higiene pessoal (absorvente, shampoo, papel higiênico, escova de dente, cotonetes, algodão, sabonete…).

MAIO – Campanha do agasalho.

JUNHO – Alimentos não perecíveis.

AGOSTO – Doações de “seminovos” para o Bazar Beneficente (roupas, calçados, objetos).

SETEMBRO – Brinquedos e livros infantis.

OUTUBRO – Produtos de limpeza (sabão em pó, sabão em pedra, detergente, desinfetante).

NOVEMBRO – Kit Natalino: roupa, calçado e brinquedo.

CAMPANHAS PERMANENTES DE RECICLAGEM: 

– Elos de alumínio de latinhas de refrigerantes, sucos ou cervejas;
– Óleo usado de cozinha;
– Esponjas de banho ou limpeza usadas;
– Pilhas e baterias.

POSTOS DE ARRECADAÇÃO: no hall das secretarias e na Ed. Infantil.

PARTICIPEM! Incentivem seus filhos a tornar melhor a vida em nosso planeta.

Confira como foi visita dos alunos do Fundamental II à exposição de Mondrian

20160229113249
Na última sexta-feira (26), os alunos dos 6ºs, 7°s e 8ºs anos visitaram a exposição “Mondrian e o Movimento De Stijl”, no Conjunto Cultural Banco do Brasil (CCBB), no Centro de São Paulo.

A atividade foi a primeira do ano do projeto “Pelas Ruas de São Paulo”, no qual os estudantes do Ensino Fundamental realizam saídas periódicas para pontos culturais da cidade.

Na mostra, os alunos puderam conferir um panorama que apresenta cerca de 60 obras entre pinturas, desenhos de arquitetura, mobiliário e fotografias de artistas do movimento da vanguarda moderna holandesa conhecido como De Stijl (“O Estilo” em tradução literal), fundado em 1917 e que tem como ícone o pintor Piet Mondrian. Esses artistas elaboravam um tipo de “arte total”, usando cores primárias para criar obras sem restrições, claras e limpas, como eles imaginavam o futuro. A exposição mostra também o percurso de Mondrian, da figuração à abstração.

Confira AQUI todas as fotos da saída.