5º ano visita Museu Afro Brasil, no Parque do Ibirapuera

Os alunos dos 5ºs anos realizaram, na última quarta-feira (19), um estudo do meio para o Museu Afro Brasil.

Localizado dentro do Parque Ibirapuera, o Museu conserva, em 11 mil m², uma coleção com mais de 6 mil obras, entre pinturas, esculturas, gravuras, fotografias, documentos e peças etnológicas, de autores brasileiros e estrangeiros, produzidos entre o século XVIII e os dias de hoje.

O acervo abarca diversos aspectos dos universos culturais africanos e afro-brasileiros, abordando temas como a religião, o trabalho, a arte, a escravidão, entre outros, ao registrar a trajetória histórica e as influências africanas na construção da sociedade brasileira.

Confira, abaixo, as fotos do estudo do meio:

5º ano B e C - Museu Afro Brasil

 

6º ano percorre os caminhos dos Bandeirantes e do Rio Tietê em estudo do meio

Percorrer os mais importantes caminhos feitos pelos Bandeirantes no Brasil em suas expedições desbravadoras e entender a história do rio Tietê. Estes são os principais objetivos do estudo de meio do qual os alunos do 6º ano participaram nos dias 20 e 21 de abril.

Conheça, abaixo, os objetivos e o roteiro da viagem.

Objetivos:

  • Conhecer quem foram os Bandeirantes e caracterizar historicamente seu papel na história do Brasil;
  • Compreender as interações entre as Bandeiras e os fatores geográficos ao longo do curso do rio Tietê;
  • Observar um dos principais roteiros do Ciclo Bandeira Paulista e algumas das cidades fundadas durante este período;
  • Discutir o papel das Bandeiras no processo de colonização e expansão territorial do país;
  • Refletir sobre o impacto da ação humana no meio ambiente e as suas transformações através das diferentes formas de utilização do espaço e dos recursos naturais;
  • Desenvolver habilidades de orientação espacial através de mapas, bússola e do estudo da astronomia.

Roteiro:

Dia 1

  • Santana do Parnaíba (visita ao Casario Histórico e ao Museu Casa do Anhanguera);
  • Estrada das Roseiras
  • Salto (Memorial do Tietê, Ponte Pênsil e Caminho das Esculturas)
  • Brotas (Observatório C.E.U. – Centro de Estudos do Universo)

Dia 2

  • Barra Bonita (Embarque em navio, atividades de observação e pesquisa)

Confira as fotos:

01_Santana do Parnaíba - 6º ano (abr/2017)

Alunos dos 6ºs anos seguem estudando Metodologia Científica

Com ajuda da professora Yara, os alunos dos 6°s anos seguem estudando Metodologia Científica, como parte do Projeto 2017. Em aulas teóricas, de pesquisa, puderam aprender o que é objetivo, seu significado, diferença entre objetivo geral e específico, como elaborar um problema de pesquisa e o que são hipóteses científicas.

Depois disso, participaram de um exercício em que receberam alguns itens para montar uma sequência com o assunto que quisessem, escolhendo tema, formulando um problema e transformando-o em um objetivo.

Em seguida, selecionaram cinco tópicos que gostariam de estudar dentro do assunto e que fariam com que eles resolvessem o problema proposto. Os materiais foram enviados pela plataforma do Google e, na semana seguinte, os estudantes apresentaram seus tópicos.

A diversidade dos assuntos chamou atenção. Alguns dos grupos foram, inclusive, além do que havia sido solicitado. Entre os temas escolhidos estão futebol, alimentos, desmatamento, violência, pandas, asma, fenômenos naturais, fenômenos geológicos, morte, iFLY, série de mangá Tokyo Ghoul e série The Walking Dead.

Veja as fotos:

Metodologia científica: 6º ano (abr/2017)

 

Fermentação fecha aprendizado sobre fungos nos 7°s anos

6fcfd3f2-3495-44d9-9ee3-79db6381aa97Os alunos dos 7°s anos estão estudando micro-organismos nas aulas de Ciências da professora Yara. Para fechar os aprendizados sobre o reino dos fungos, eles tiveram uma aula de fixação sobre fermentação. A atividade de micro ecologia complementou o conteúdo já ensinado nas aulas teóricas.

Na ocasião, eles montaram diferentes experimentos para verificar os principais pontos para o processo de fermentação acontecer, como temperatura adequada e disponibilidade de nutrientes. Para isso, utilizaram oito frascos, dois com açúcar, fermento e água quente; dois com fermento e água quente; dois com fermento e água fria; e dois com açúcar, fermento e água fria.

Os estudantes colocaram uma bexiga na boca de cada frasco. Cada grupo de quatro frascos foi dividido em dois diferentes tipos de ambiente, escuro (dentro de uma caixa) e claro (fora da caixa). A partir daí, os alunos puderam comparar os resultados.

Depois de cerca de 15 minutos, eles começaram a perceber que a bexiga que estava no frasco no claro com açúcar, fermento e água quente começou a inflar. Já nos outros três frascos, isso não aconteceu. Já na segunda verificação, eles perceberam que no mesmo experimento (açúcar, fermento e água quente), a bexiga havia enchido também no escuro.

A conclusão da atividade mostrou que o processo de fermentação aconteceu nos frascos com fermento (representado o fungo), açúcar (representando o nutriente para ele se alimentar) e alta temperatura.

Nestes casos, o fungo realizou o processo, que resultou na produção de gás carbônico, o que fez com que a bexiga inflasse. Nos demais frascos, isso não aconteceu porque faltou a temperatura ideal ou o nutriente (açúcar).

Desta forma, eles concluíram que, tanto no claro quanto no escuro, o experimento se desenvolveu da mesma forma. Ou seja, a luz não é um fator limitante para o crescimento do fungo.

Confira as fotos:

Aula de Ciências: Fermentação - 7º ano (abr/2017)

 

Alunos do Fundamental I têm atividades especiais na semana da Páscoa  

A equipe do Colégio Santo Ivo preparou uma série de atividades especiais para os alunos do Fundamental I na semana da Páscoa. Os estudantes dos 2ºs anos, por exemplo, descobriram como é comemorada a data em diversos países do mundo, complementando o trabalho de diversidade realizado durante as aulas de História e Geografia.

A parte mais emocionante da atividade foi o compartilhamento do ovo de chocolate, em que todos puderam dividir com os amigos o significado da Páscoa na sua vida.

Páscoa - 2º ano (abr/2017)

Já nas turmas dos 3ºs anos, cada aluno decorou um cartão em formato de ovo após todos lerem sobre o costume ucraniano de pintar “pêssancas”. Os estudantes aprenderam que este é um gesto de amizade e desejo de coisas boas a quem recebe o agrado.  Em seguida, puderam colocar a teoria em prática, sorteando um amigo para presentear.

Além disso, compartilharam com os colegas as respostas de uma pesquisa que fizeram em casa, junto com os pais, perguntando o significado da Páscoa para cada família. Para encerrar a comemoração, repartiram um ovo de chocolate.

Páscoa  - 3º ano A (abr/2017)

Os alunos do 4º ano estudaram os símbolos da Páscoa, que são variados e indicam, direta ou indiretamente, sempre as mesmas ideias de esperança, recomeço e renovação.

Páscoa - 4º ano (abr/2017)

Nos 5ºs anos, os alunos fizeram um registro sobre o que a Páscoa significa para eles, montando um mural em que apareceram palavras como paz, união, família, amor e alegria. Depois, em casa, realizaram uma pesquisa sobre o significado da palavra Páscoa, Páscoa cristã e judaica, os símbolos da Páscoa e como a data é comemorada em outros países.

Cada grupo apresentou aos demais as descobertas desta atividade. Uma das alunas, que tem na família a tradição judaica, trouxe o matzá, pão sem fermento, para que os colegas experimentassem.

A pesquisa junto com as famílias gerou um momento de conscientização, pois os alunos perceberam que a Páscoa é uma ocasião para se reunir e desfrutar de uma boa refeição, mas, sobretudo, um momento de reflexão, de renascimento e de mudanças.

Eles também relembraram que o ovo é o símbolo da vida e que, com o decorrer dos anos, se transformou em ovo de chocolate com o intuito de presentear a quem amamos. Seguindo a tradição, compartilharam um delicioso ovo de chocolate.

Páscoa - 5º ano B (abr/2017)

 

Corpo humano é tema de experimentos do 8° ano

Os alunos do 8° ano seguem estudando o corpo humano nas aulas de Ciências da professora Yara.  Ao falar sobre tato e camadas da pele, eles puderam participar de dois experimentos, que incluíram simulações e montagens.

O primeiro testou o grau de sensibilidade de diferentes partes do corpo. Para isso, eles usaram uma placa de EVA com palito de dente. Os estudantes iam mudando a distância entre os palitos e espetando áreas como ponta dos dedos, parte de trás do pescoço, antebraço, palma e dorso da mão.

Enquanto faziam os testes, anotavam as repostas que os colegas davam. No final, foi aberta uma discussão em que foi possível perceber que cada pessoa tem uma sensibilidade diferente, mas que, normalmente, a região mais sensível é a ponta dos dedos, onde temos uma maior quantidade de terminações nervosas e de receptores.

No segundo experimento, eles montaram um modelo de camadas da pele, utilizando uma caixinha. Com gel no EVA, eles fizeram vasos sanguíneos, pelos e glândulas sudoríparas. A turma foi dividida em pesquisas sobre calor e frio.

Quando está calor, o vaso sanguíneo dilata para facilitar a passagem do sangue, o pelo fica mais abaixado em direção à pele e a glândula sudorípara libera o suor para refrigerar o corpo. Quando está frio, os vasos sanguíneos ficam contraídos, o pelo fica ereto e a glândula não produz suor, sendo que a pessoa não transpira e a circulação passa mais devagar para manter o calor interno.

Além do experimento, as duas condições térmicas foram discutidas e os alunos fizeram pesquisa em classe, dentro do método da sala invertida.

Veja as fotos:

Ciências 8º ano: camadas da pele (abr/2017)

Matemática é destaque no dia a dia do 3º ano

Os alunos do 3º ano vêm usando a Matemática para diversos aprendizados em seu dia a dia, inclusive em aulas de outras disciplinas. Uma delas é a Educação Física, em que eles puderam participar de uma atividade interdisciplinar, com o apoio do professor Cláudio.

Nela, elas mediram as distâncias de seus saltos. Mais tarde, os dados coletados foram utilizados para a construção de gráficos e tabelas, durante a aula de Matemática.

Matemática + Ed. Física - 3º ano (abr/2017)

Já como parte do Projeto Brincar, alguns alunos do 3º C desenharam uma amarelinha gigante, sequenciando os números para além das duas centenas. Em seguida, os estudantes do 3º B criaram desafios matemáticos pelo caminho, sendo que somente quem conseguisse solucioná-los poderia prosseguir.

No final da atividade, depois de aprender de forma divertida, todos se renderam aos encantos da brincadeira.

Projeto Brincar + Matemática - 3º ano (abr/2017)