Cuidado com as redes sociais é tema de encontro do Projeto Cidadania Digital

A grande maioria dos jovens tem ao menos uma conta em algum tipo de rede social. As mais populares são Facebook e Twitter, mas há muitas outras, como Instagram e Pinterest, e a cada dia surgem novas opções.

A importância das redes sociais na cultura adolescente é cada vez maior e estas já fazem parte do seu estilo de vida. Mais do que na era do conhecimento, vivemos no tempo da comunicação digital, do acesso imediato à informação contínua.

Com toda esta troca de informações, muitas delas pessoais, levantam-se também questões de privacidade, segurança e excessos. E foi justamente esse o tema do segundo encontro do Projeto Cidadania Digital.

Na última terça-feira, a Dra. Marcela Macedo de Lima Goulart, advogada especialista em direito digital, fundadora do projeto “Cidadania na rede” e autora de diversos artigos sobre educação digital, conversou com os alunos do 7º ano do Ensino Fundamental do Santo Ivo sobre os riscos que existem nas redes sociais e como aumentar sua atenção ao utilizá-las, para não se tornar um alvo fácil.

O primeiro cuidado, segundo ela, deve ser com a segurança. Não usar a mesma senha para várias contas, não divulgá-la a ninguém e não escolher combinações óbvias são atitudes importantes. Também é fundamental fazer o logoff do site, sempre que deixar de utilizá-lo.

A especialista também chama atenção à privacidade. A maioria das redes sociais tem ajustes que permitem ao utilizador controlar quem pode ver a conta e o modo como pode fazê-lo. Os adolescentes devem limitar o acesso à sua informação pessoal por meio das configurações de privacidade para que apenas os amigos ou pessoas que eles conheçam bem possam ver o que eles publicam.

Também foi orientado aos alunos do Santo Ivo que só adicionem pessoas conhecidas, já que nunca se sabe qual a verdadeira intenção de um desconhecido que lhe peça para ser amigo na rede.

Por segurança, os jovens não devem transformar a rede social em seu diário. Não publique onde estuda, onde trabalha e nem onde mora. Também evite usar aplicativos que digam em que lugar esteve. Todas estas informações podem ser acessadas por qualquer um e uma pessoa mal intencionada pode usar isto contra o usuário.

No próximo encontro, que será realizado no dia 30 de abril, Dra. Marcela falará sobre o cyberbullying, que é o ato de agredir alguém por meio de imagens ou palavras na internet.

Anúncios

Especialista orienta alunos sobre como usar a internet de forma adequada e sem riscos

A internet não precisa ser o bicho-papão que tanto se diz por aí. Se for bem usada, ela é uma ótima fonte de conhecimento e diversão para crianças e adolescentes. Além de melhorar a capacidade de aprendizado, a rede reduz a timidez e estimula relacionamentos afetivos, sociais e profissionais.

Porém, é importante ter cuidado. Um estudo feito pela empresa de segurança Norton em 2010 dá uma dimensão do problema: 62% das crianças e jovens que acessaram a internet no mundo tiveram pelo menos uma experiência negativa on-line.

Fica claro que, com o computador, surgem mais responsabilidades para os pais e professores. Nas mãos da criançada, o equipamento pode ser uma janela para problemas.

Para melhor educar seus alunos sobre os cuidados que devem ter no mundo virtual e estimular o uso saudável e ético da tecnologia, o Colégio Santo Ivo deu início, nesta terça-feira, ao Projeto Cidadania Digital. Na primeira etapa do programa, Marcela Macedo de Lima Goulart, advogada especialista em direito digital, fundadora do projeto “Cidadania na rede” e autora de diversos artigos sobre educação digital, se reuniu com os alunos do 7º ano do Ensino Fundamental para falar sobre “identidade digital”.

No encontro, que provocou grande interesse e participação dos estudantes, a profissional orientou os alunos sobre o cuidado que devem ter com seus logins e senhas. Segundo ela, é importante que eles nunca sejam revelados a ninguém e que sejam trocados com frequência.

Dra. Marcela também explicou  que, pela internet, é possível construir e destruir reputações. De acordo com a advogada, deve-se ficar sempre atento ao que se divulga na rede. Fotos, vídeos e comentários ajudam a formar a sua imagem e, infelizmente, não há muito espaço para arrependimento na internet, já que, neste meio, o conteúdo se espalha rapidamente e, assim, se perpetua.

Por fim, a especialista falou sobre outro fenômeno da internet: os perfis “fakes” nas redes sociais.

Dentro das redes virtuais de relacionamento, é comum quando um usuário resolve se fazer passar por outra pessoa, criando página com perfil que não é o seu, conduta extremamente simples de ser praticada no meio eletrônico. A questão é que a prática pode causar prejuízos incalculáveis às vítimas e o responsável pela criação de perfil falso, usualmente denominado “fake”, após a devida identificação, poderá ser responsabilizado na esfera civil, pelos danos morais e patrimoniais eventualmente causados e, até mesmo, na esfera penal em certos casos.

No próximo encontro, que será realizado no dia 16 de abril, Marcela Macedo de Lima Goulart falará mais detalhadamente sobre as redes sociais e os cuidados necessários para a sua utilização com segurança. No dia 30, o assunto tratado será o cyber bullying.

As discussões acontecem na sala de leitura e são acompanhados pela orientadora educacional Silvia Leal, que dará prosseguimento ao projeto no decorrer do ano letivo.

7º ano terá encontros sobre Cidadania Digital

O surgimento da Internet trouxe coisas boas e ruins. Juntamente com a facilidade de informação e comunicação veio a insegurança e adigital vulnerabilidade. Sempre preocupado com o bem estar de seus alunos, o Colégio Santo Ivo, pensando nisso, programou, para o mês de abril, uma série de encontros com os estudantes do 7º ano.

Neles serão trabalhados assuntos relacionados à cidadania, respeito e ética no mundo digital. Os encontros serão ministrados pela Dra. Marcela Macedo de Lima Goulart, advogada especialista em direito digital, fundadora do projeto “Cidadania na rede” e autora de diversos artigos sobre educação digital.

Os temas abordados serão identidade na rede, a importância de proteger a sua identidade, redes sociais, problemas com o mau uso das redes sociais, bullying e cyberbullying – brincadeira ou maldade, fakes, casos reais de incidentes e melhores práticas.

As discussões acontecerão na sala de leitura durante o período de aulas e os alunos serão acompanhados pela orientadora educacional Silvia, que dará prosseguimento ao projeto no decorrer do ano letivo. A discussão é importantíssima hoje em dia, afinal, estamos todos ficando cada vez mais conectados e todo cuidado é pouco na rede.

A circular com mais informações foi enviada aos pais.