Origem dos planetas é simulada em aula prática do 6º ano

Na última semana, na aula de Ciências, os alunos do 6º ano realizaram a sua primeira experiência prática do ano, a partir do estudo que realizaram sobre a formação do Universo.

Primeiro, eles fizeram pesquisas e levantamentos sobre o assunto. Depois, discutiram o tema em sala de aula.

A origem do universo proporcionou – e ainda proporciona – vários debates, pesquisas e teorias que possam explicar tal fenômeno. É um tema que desperta grande curiosidade desde os tempos mais remotos e gera grandes polêmicas, envolvendo conceitos religiosos, filosóficos e científicos.

Até o momento, a explicação mais aceita sobre a origem do universo entre a comunidade cientifica é baseada na teoria da Grande Explosão (ou Big Bang, em inglês). Segundo ela, o universo teria surgido após uma grande explosão cósmica, cerca de 13 bilhões de anos atrás.

Até que os planetas se formassem, a matéria que viria a constituí-los vagueava pelo espaço. Como esta matéria era instável, ocorriam muitas colisões. Destas colisões resultaria a incorporação progressiva de poeiras e gases de corpos que cada vez mais iam atraindo mais matéria, aumentando a sua massa e, sucessivamente, a sua força gravitacional.

No início do Sistema Solar, também existiam apenas grãos microscópicos de poeira e gases espaciais que orbitavam ao redor do Sol e, pela força de atração gravitacional, começaram a se juntar e formar corpos cada vez maiores e com mais massa, gerando os planetas, incluindo a Terra.

Para simular essa situação, os alunos usaram uma folha de papel, esponja de aço (Bombril) e imã. Primeiro, eles criaram os fragmentos, despedaçando o Bombril. Com o imã colocado embaixo do papel, eles atraíram todos esses fragmentos para um mesmo ponto, formando como se fossem esferas, que pareciam os planetas, mostrando então como é a Teoria da Acreção e o surgimento dos planetas.

Confira as fotos:

Aula de Ciências: formação do universo - 6º ano (fev/2018)
Anúncios